Equidade e Diversidade

+A -A

O Programa

O Programa de Equidade e Diversidade da Eletros foi criado para dar continuidade ao extinto programa Pró-Equidade de Gênero e Raça que foi uma iniciativa do Governo Federal, através da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República – SPM/PR e do II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, que tem por finalidade o desenvolvimento de concepções e procedimentos na gestão de pessoas e na cultura organizacional, para alcançar a equidade de gênero no mundo do trabalho.

O programa contou com 6 edições, desde a sua criação no ano de 2005. A Eletros participou do programa desde a sua 3º edição, sendo premiada com o Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça em todas as edições.

O Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça destacava as organizações comprometidas com a justiça social, a igualdade de gênero, etnicorracial e o trabalho decente, conjugado a lógica do exercício dos direitos com a lógica dos negócios, considerando que a igualdade entre homens e mulheres constitui um pilar fundamental da gestão organizacional e do êxito empresarial.

 

 

Selos Conquistados

  • Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça 5ª edição
  • Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça 4ª edição
  • Selo Pró-Equidade de Gênero e Raça 3ª edição

Notícias

Guardas municipais de Niterói aderem à campanha ‘Agosto Lilás’

Objetivo da ação é chamar a atenção para a violência contra a mulher e estimular que as vítimas busquem os mecanismos para denunciar seus agressores

Redação -

 

S. D. R., de 34 anos, poderia ser mais um número na estatística de violência contra a mulher, mas mudou sua história de vida: depois de sofrer abusos pelo antigo companheiro por quase oito anos, denunciou o agressor – que foi condenado há 13 anos de prisão – estudou, passou no concurso e há cinco anos é guarda municipal de Niterói. Ela é uma das agentes femininas da corporação que já estão nas ruas utilizando máscaras lilás e fitas na lapela, participando da campanha nacional “Agosto Lilás”, mês que marca o aniversário da Lei Maria da Penha. O objetivo é chamar a atenção para a violência contra a mulher e estimular que as vítimas busquem os mecanismos para denunciar seus agressores. As agentes também gravaram um vídeo que será veiculado em redes sociais com mensagens de alerta para todas as mulheres.

“Eu dei um basta no relacionamento abusivo e assumi o controle da minha vida. Agora quero passar a mensagem para todas as vítimas de que é possível se livrar de seu agressor. As mulheres têm mecanismos que as protegem e podem buscar os órgãos de apoio e denunciar. Essa campanha é importante, principalmente, neste momento de pandemia, em que muitas famílias estão confinadas, passando por stress emocional, e podem surgir conflitos”, destaca S.D.R.

A guarda ressalta que as mulheres podem fazer denúncias ou pedir auxílio para a Polícia ou pelos telefones 180 (Central de Atendimento à Mulher) e 153 (Centro Integrado de Segurança Pública).

No vídeo, as agentes destacam que toda mulher, independentemente de classe, cor ou idade podem ser vítimas de violência e chamam atenção para mais uma forma de pedir ajuda: a marcação do “X” vermelho na palma da mão. Esse é o sinal para o atendente ou farmacêutico ligar para a polícia. A ação é voltada para as mulheres que têm dificuldade para prestar queixa de abusos, seja por vergonha ou por medo.

Campanha Sinal Vermelho

A Prefeitura de Niterói assinou um termo de adesão à Campanha Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica. A iniciativa, em benefício das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar no Brasil, busca ampliar a rede de apoio às mulheres. Niterói foi a primeira cidade a aderir oficialmente à campanha, seguindo as diretrizes da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgãos idealizadores do projeto.

A campanha propõe que as farmácias funcionem como rede de apoio a mulheres que sofrem violência. Com isso, aquelas que sofrem algum tipo de violência poderão ir a um desses estabelecimentos, com um X vermelho marcado na mão, ou até falar sobre situações de violência sofridas. O atendente é orientado a levar a vítima para uma sala, ou algum lugar da farmácia, e deixá-la em segurança até ligar para o 190, para que a polícia vá prestar apoio a essa mulher, sem que a pessoa que fez a ligação precise ser testemunha, exceto se a agressão acontecer dentro do estabelecimento.

Estatísticas

A Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (Codim) da Prefeitura de Niterói, atendeu, só em 2020, 474 mulheres vítimas de violência. Quase 100 casos foram de primeiros atendimentos. As medidas de prevenção à contaminação por Covid-19 podem ter gerado um aumento das subnotificações. Alguns casos passaram a ser percebidos a partir da mobilização de vizinhos, familiares e organizações sociais que buscaram, nas redes sociais e nos canais de atendimento remoto, expor e denunciar episódios de violência doméstica, além de apoiar mulheres a romper com o ciclo de violência.

Como denunciar

Para denunciar casos de violência contra a mulher pode-se ligar para o 180, central que funciona 24h por dia. Também é possível realizar o registro de ocorrência online pelo site https://dedic.pcivil.rj.gov.br/ e pelo telefone 197.- Situações de emergência são atendidas pelo 190. O Centro Especializado de Atendimento à Mulher está funcionando de segunda à sexta, na Rua Cônsul Francisco Cruz, 49 - Centro, Niterói. Os números para contato são (21) 2719-3047 e celular (21) 96992-6557.

Fonte: O Fluminense

Plano de Ação da Eletros

O objetivo geral do plano de ação é alinhar o Programa de Equidade e Diversidade ao Planejamento Estratégico da empresa voltado para a gestão dos seus recursos humanos, priorizando os seguintes valores organizacionais:

  • respeito aos direitos humanos valorizando a diversidade; e
  • manutenção de relações sociais e tomadas de decisões pautadas na ética e na responsabilidade.
AÇÕES DE GESTÃO DE PESSOAS AÇÕES DE CULTURA ORGANIZACIONAL
Utilizar de linguagem inclusiva nos cargos e avisos de processos seletivos Estimular a denúncia de práticas discriminatórias por questão de gênero e/ou raça e assédio moral e/ou sexual
Divulgar a promoção da equidade de gênero e raça nos processos seletivos Realizar atividades lúdicas e/ou interativas abordando os temas do programa
Promover treinamentos com foco em gênero e/ou diversidade racial Compor Fóruns de Discussão de Equidade e Diversidade
Divulgar a evolução do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça em dados estatísticos Disseminar boas práticas de Pró-Equidade de Gênero e Raça no Brasil
Incluir diretrizes de equidade profissional na Política de Gestão de Pessoas Valorizar a busca pela igualdade entre mulheres e homens em campanhas publicitárias
Atualizar periodicamente o Plano de Cargos, Carreiras e Salários Consolidar os princípios de Empoderamento das Mulheres
Atualizar periodicamente a metodologia de Remuneração Variável da empresa Sensibilizar fornecedores e empresas em que a Eletros possui participação societária quanto aos temas gênero e raça
Realizar pesquisa sobre ascensão funcional ou engajamento profissional
Manter a ampliação das licenças por nascimento de filhas(os) para mulheres e homens
Conceder auxílios creche e educação
Conceder auxílio psicopedagógico às(aos) empregadas(os) e dependente(s) portadores de deficiência física e/ou mental
Divulgar que a Eletros reconhece a união homoafetiva para efeito de concessão dos benefícios aos cônjuges
Avaliar a saúde de mulheres e homens respeitando suas diversidades biológicas
Complementar o salário no período de auxílio doença

Comitê Interno

Comitê Equidade e Diversidade da Eletros

O Comitê Interno de Equidade e Diversidade (COED) é composto por empregados da Eletros, indicados pela área de Gestão de Pessoal e Administração (GPA) e aprovados pela Diretoria Executiva da Eletros (DEE).

Este Comitê tem a finalidade de construir, acompanhar e aprimorar os processos que viabilizem boas práticas em pró-equidade de gênero, bem como demonstrar os indicadores de atingimento de melhorias alcançados através do plano de ação do Programa de Equidade e Diversidade.

Este comitê possui um regimento próprio de funcionamento, disponível na intranet da Eletros.

Membros do Comitê de Diversidade e Equidade da Eletros
Elaine Oliveira(GPA)
Joyce Oliveira (GCO)
Marcos Nunes (GTI)
Stelen Siva (GRE)

Tels e endereços úteis

 Centro de Atendimento à Mulher

Ligue 180
Atendimento 24 horas

 

 Disque-denúncia Mulher (DD Mulher)

(21) 2253-1177
Atendimento 24 horas

 

 Ouvidoria da Mulher – SPM-PR

(61)3313-7367 / 7396 / 7398 / 7399
Email: ouvidora@spm.gov.br

 

 Ouvidora Nacional de Igualdade Racial

(61) 2025-7003
Email: ouvidoria@seppir.gov.br

 

 Casa da ONU

(61) 3038-9280
Email: onumulheres@unwomen.org

 

 Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher

 

Niterói
Endereço: Av. Amaral Peixoto, 577 – Centro
(21) 3399-3701/ 3399-3700/ 3399-3703/ 3399-3698

 

Nova Iguaçu
Endereço: Rua Joaquim Sepa, 180 – Marco II
(21) 3779-9555/3779-9543/3779-9168/3779-9184

 

São Gonçalo
Endereço: Avenida 18 do Forte, 578 – Mutuá
(21) 3399-3730/ 3399-3733/3119-3515/3119-3882

 

Rio de Janeiro

Endereço: Av. Visconde do Rio Branco, 12- Centro
(21) 2332-9994/2334-9859/2332-9996/2224-6643

 

Endereço: Av.Maria Teresa,lote 8 – 2º andar – Campo Grande
(21) 2332-7644/7648/7645/7638/7649

 

Endereço: Rua Tenente José Dias,344 – Duque de Caxias
(21) 2775-1549/2671-7757

 

Endereço: Av. Retiro da Imprensa, 800, Bairro Piam – Belford Roxo
(21) 3771-1135/3771-1894/3771-1475

 

Endereço: Rua Henriqueta, 197 – Largo do Tanque – Jacarepaguá
(21) 2332-2578/2332-2575/2332-2574/2332-2580/2332-2581

 

Endereço: Rua General Nilton Fontoura, 540,Jardim Paraíba- Volta Redonda
(24) 3337-5538/3339-2429/3337-9569/3337-538/3339/2169